PORTO VELHO

Saúde

Especialista alerta sobre cuidados com a saúde no verão; fumaça agrava doenças respiratórias

Saúde

Com diversos municípios tomados pela fumaça originada das queimadas, a população com saúde vulnerável precisa estar em alerta para os cuidados básicos, que podem evitar o agravamento de doenças respiratórias em idosos e crianças.

As queimadas são grandes influentes para a poluição atmosférica, colocando a vida de muitas pessoas em risco. Todos sentem as consequências das queimadas, em especial crianças e idosos. Esse tempo predominante de fumaça é muito propício para a existência de doenças respiratórias, devido ao clima seco e a presença de fuligens, que predispõem as doenças respiratórias.

A especialista em doenças pulmonares, Ana Carolina Terra Cruz, explicou que os primeiros atendimentos normalmente são realizados pelas Unidades de Pronto Atendimento dos municípios e do Estado, de onde são encaminhados para acompanhamento e tratamento. A população pode ter quadro de tosse, falta de ar, sintomas de renite, sinusite, ou problemas respiratórios, como asma, bronquite, e a partir da exposição contínua em áreas de fumaça predominante, o desenvolvimento de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, conhecida popularmente como enfisema pulmonar.

Leia Também:  Inmet pede que cidadãos evitem usar aparelhos ligados à tomada durante chuvas

“Os cuidados que devemos ter com essa população, é tentar deixar o ambiente mais úmido, no trabalho e em casa, com a utilização de umidificadores ou toalhas umedecidas ou bacias com água. Também pode lavar as mucosas com soro fisiológico. E, já que temos essa exposição maior com fumaças nessa época do ano, o ideal é não se expor a ambientes externos, pois a prática de atividades físicas ou trabalhos em áreas externas pioram as condições de quem já tem alguma doença respiratória ou a população vulnerável”, destaca a especialista.

O caminhoneiro Juarez Model Behenck, 61 anos, viajou de Vista Alegre do Abunã, onde mora, para uma consulta com a pneumologista na Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho. Em tratamento, com um problema pulmonar, o idoso, que antes trabalhava na roça, falou sobre as dificuldades que enfrenta para conseguir cuidar da saúde na atual profissão, mesmo assim, a máscara de proteção tornou-se aliada quando possível. “É muita tosse, por muitos dias, quando chega no tempo da queimada e poeira é pior ainda.

Leia Também:  Ex-deputado federal Agnaldo Muniz morre em acidente na BR-319

“Observamos que a cidade está tomada por fumaças, então inalar esses antígenos e patógenos pode prejudicar toda a saúde da população”, ressaltou a pneumologista, que também alertou os portadores de doenças crônicas e cardíacas, que podem apresentar agravo clínico no período de verão amazônico, com a incidência de queimadas, sendo ideal a continuidade no uso da medicação, evitando se expor à fumaça.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

VACINAÇÃO – Pessoas de 55 a 59 anos e trabalhadores do transporte coletivo serão imunizados a partir de quarta-feira (16) 

Publicados

em

 

Para receber o imunizante é necessário fazer o cadastramento no aplicativo SASI

Novo grupo começa a ser imunizado nesta quarta-feiraPorto Velho tem novo calendário de imunização contra a Covid-19 a partir desta quarta-feira (16). Passam a ser vacinadas as pessoas com 55 a 59 anos sem comorbidade e os trabalhadores do transporte coletivo. O atendimento será feito mediante agendamento por cadastro no aplicativo SASI. A vacinação acontecerá na quarta, quinta e sexta-feira (16, 17 e 18 de junho), no Campus I da Faculdade Uniron, no bairro Lagoinha, das 9h às 16h.

Durante os três dias de vacinação, serão disponibilizadas cerca de 6 mil doses da Astrazeneca para a primeira aplicação.

TRANSPORTE

Serão vacinados os trabalhadores do transporte coletivo que atuam no transporte de passageiros e garagem. É obrigatório apresentar um documento que comprove o vínculo com empresa do setor.

Durante os três dias serão disponibilizadas cerca de 6 mil dosesOs motoristas de aplicativo, taxistas ou similares não se enquadram na modalidade de transporte coletivo e não serão imunizados neste momento.
Segundo a gerente de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Elizeth Gomes, a partir de agora os calendários vacinais serão mais curtos e, portanto, o atendimento será mais rápido. “Esta mudança vai dar mais agilidade ao cumprimento do nosso calendário, com isso vamos acelerar a vacinação”, afirma.

Leia Também:  Inmet pede que cidadãos evitem usar aparelhos ligados à tomada durante chuvas

CADASTRAMENTO

Segundo a Semusa, é obrigatório o cadastramento através do aplicativo SASI, que é o meio utilizado para programar a quantidade das doses a serem utilizadas.

O aplicativo envia mensagem por e-mail aos cadastrados indicando o dia e hora em que será feito o atendimento com a vacina. A mesma informação é encaminhada por SMS no telefone.

O SASI está disponível em todas as lojas virtuais dos smartphones e pode ser baixado gratuitamente.

Para baixar o aplicativo no sistema Android, basta acessar o link: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.sasi.app

Para baixar no sistema IOS, clique no link: https://apps.apple.com/br/app/sasi/id1467748272

Site Imuniza disponibiliza campo para consultar a situação do agendamento

CONSULTAR AGENDAMENTO

O Portal Imuniza, da Prefeitura de Porto Velho, oferece o serviço de consulta de agendamento de vacinação. Por ele, o cidadão pode saber se já foi agendado para receber a vacina contra a Covid-19.

Para fazer a consulta, basta acessar o site: https://imuniza.portovelho.ro.gov.br/agendamentovacina. No campo ‘Consultar Agendamento’ é necessário inserir número do CPF e data de nascimento. Em seguida, o sistema trará os dados referentes ao cadastro realizado no SASI.

Texto: Jefferson Carvalho e Luciane Gonçalves
Foto: Saul Ribeiro, Weslei Pontes e Leandro Morais

Leia Também:  #ROLIMDEMOURA: Município notifica consórcio e solicita cancelamento do contrato da empresa responsável pela coleta de lixo

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA