PORTO VELHO

Saúde

Triglicérides: saiba o que é e quais são os riscos dos níveis elevados

Saúde

Triglicérides: saiba o que é e quais são os riscos dos níveis elevados
Redação EdiCase

Triglicérides: saiba o que é e quais são os riscos dos níveis elevados

O triglicérides é uma gordura circulante no organismo. Ele possui três elementos de ácidos graxos (um produto que compõe as gorduras) e uma outra substância denominada glicerol. Daí o nome de tri (de três) glicerídeos (de glicerol). A principal fonte de triglicerídeos é a alimentação e, em menor quantidade, ele é produzido pelo próprio organismo.

Sintomas dos triglicérides altos

Habitualmente as pessoas que possuem triglicerídeos elevados não sentem nada. Em alguns casos, quando está muito elevado (5 vezes mais do que o limite superior da normalidade), podem apresentar depósito de gordura na pele, denominado de xantomas, ou nos olhos, denominado de xantelasma. E, ainda, podem causar uma doença denominada de pancreatite, que causa dor abdominal intensa.

Como detectar alteração nos níveis de triglicérides?

Para verificar o valor dos triglicérides, basta realizar um exame de sangue para dosagem de Triglicerídeos. É um exame de sangue bastante simples. As taxas saudáveis, geralmente, são menores do que 150mg/dl.l.

Leia Também:  Programa Médicos pelo Brasil, Rondônia terá só 7 contratados

Consequências do aumento dos triglicérides

Dependendo dos níveis de triglicerídeos, há consequências diferentes. Valores acima dos normais podem, junto com outros fatores, levar a doenças cardiovasculares , e quando muito elevado, pode levar a uma inflamação do pâncreas denominada pancreatite.

O que eleva os níveis de triglicerídeos ?

Os níveis elevados de triglicerídeos, denominado de hipertrigliceridemia, pode ser decorrente de uma causa genética, um padrão familiar ou pode ser decorrente de causas secundárias, isto é, independente de padrão genético. Entre as causas estão: consumo de álcool, diabetes tipo 2 e síndrome metabólica (no qual a obesidade é o principal fator de risco), algumas medicações (corticoides, entre outros), consumo excessivo de carboidratos (açúcar e massas), doenças no fígado, tireoide e rins.

Como mantê-lo em níveis saudáveis?

Para manter os triglicérides em níveis normais, vale manter uma vida saudável, alimentação equilibrada e realizar atividade física regularmente. Além disso, é importante evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, refrigerantes e sucos industrializados e consumir bastante verduras e legumes.

Quem pode desenvolver triglicérides altos

Habitualmente esperamos uma incidência maior em idosos, mas as formas familiares e genéticas já podem apresentar-se na infância. E, evidentemente, a obesidade na infância e adolescência tem aumentado a incidência da hipertrigliceridemia em indivíduos mais jovens.

Leia Também:  Condição de trabalho interfere na duração de aleitamento materno

Dr. Fabiano Sandrini

Possui experiência clínica na área de Endocrinologia Pediátrica e em desenvolvimento de métodos em biologia molecular. Tem conhecimento em rotinas em laboratórios de grande porte, controle de qualidades laboratoriais e 13 anos de experiência como assessor médico em laboratório clínico, em que auxiliava outros médicos na interpretação de exames.

Por endocrinologista Dr. Fabiano Sandrini em parceria com Redação EdiCase

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Outubro rosa: entenda como é realizada a cirurgia de reconstrução da mama

Publicados

em

Outubro rosa: entenda como é realizada a cirurgia de reconstrução da mama
Redação EdiCase

Outubro rosa: entenda como é realizada a cirurgia de reconstrução da mama

A mama feminina tem uma representação muito forte para a mulher, por causa da relação direta com a feminilidade, autoestima, sexualidade e maternidade. A cirurgia de mastectomia tem como objetivo a retirada total ou parcial da mama afetada pelo câncer, podendo impactar de uma forma negativa a autoestima feminina e afetar emocionalmente a mulher.

Reconstrução da mama resgata autoestima da mulher

O procedimento de reconstrução mamária se torna a melhor opção para a mulher resgatar a autoconfiança. A cirurgia de reconstrução de mama irá devolver a forma, a aparência e o tamanho da mama. Porém, essa cirurgia depende muito do tipo de ressecção que foi realizada pelo mastologista. Em alguns casos é possível a reconstrução imediata, ou seja, na mesma cirurgia, com isso a paciente não passa pelo trauma de ficar sem a mama.

Quando o procedimento pode ser realizado?

Existem casos nos quais a paciente tem que passar por procedimentos adicionais, como radioterapia, dessa forma, a cirurgia de reconstrução pode ficar para um segundo tempo, após a finalização desses tratamentos adicionais. Isso é definido pelo mastologista junto com o cirurgião plástico e o oncologista, dependendo do tipo do tumor, dimensão da lesão e condição clínica da paciente.

Procedimentos necessários

Geralmente, a reconstrução de mama é completada após alguns tempos cirúrgicos , em geral, três procedimentos, sendo maior o primeiro tempo, seguido de dois procedimentos menores. O objetivo da cirurgia é deixar as mamas simétricas, buscando um resultado mais semelhante possível.

Leia Também:  6 fatores que deixam os dentes amarelos

Como é feita a reconstrução da mama?

A reconstrução depende diretamente da cirurgia primária para a retirada do tumor. Nos casos em que foi preservada grande parte de pele e gordura na mastectomia, o cirurgião plástico poderá realizar um procedimento mais simples, utilizando apenas uma prótese de silicone para a reconstrução, atingindo um resultado satisfatório.

Já nas mulheres em que a retirada foi um pouco mais agressiva, mas ainda resta tecido (pele e gordura) em menor quantidade, o cirurgião pode fazer uso de colocação de expansor para ganhar espaço, ou seja, estendendo a pele e, posteriormente, substituir por uma prótese de mama. O expansor será inflado semanalmente com soro fisiológico até que fique do tamanho da outra mama e assim, posteriormente, o expansor pode ser substituído pela prótese de mama.

Reconstrução em casos mais agressivos

Nos casos mais agressivos, nos quais foi necessária a retirada de uma maior quantidade de tecido e da aréola, do mamilo e, em alguns casos, o músculo peitoral, é necessário utilizar tecidos de outras partes do corpo para cobrir o defeito criado pela ressecção do câncer. Então, temos duas opções mais usadas: usar a pele, gordura e músculo da região abdominal situada abaixo do umbigo (TRAM), ou usar o músculo, gordura e pele da região dorsal (GRANDE DORSAL).

Leia Também:  Programa Médicos pelo Brasil, Rondônia terá só 7 contratados

Uso do músculo reto abdominal

Na técnica TRAM a reconstrução é feita com o músculo reto abdominal , na qual a pele e gordura, junto com a musculatura do abdome, são levadas para a região mamária. Nesses casos, geralmente não é necessária a colocação de implantes mamários. É possível atingir o volume da mama natural com esses tecidos da região do abdome inferior. A cicatriz do abdome fica semelhante à da abdominoplastia.

Técnica com gordura e músculo da região dorsal

Na técnica grande dorsal, a pele, gordura e músculo da região dorsal são utilizados para cobrir o defeito da mama ressecada. Nesses casos, se faz necessária a utilização de prótese de mama para obter o volume da mama sadia.

Últimas etapas da reconstrução

Nos casos em que foi necessária a ressecção do mamilo e da aréola, será realizado o segundo tempo cirúrgico, que consiste na reconstrução do complexo aréolo papilar (mamilo e aréola). O mamilo é reconstruído com retalhos locais e a aréola é reconstruída com pele enxertada da região da virilha (pele mais escura, semelhante à aréola).

Uma das últimas etapas da reconstrução mamária se chama ‘simetrização das mamas ’, em que é feito uma mamoplastia de aumento com colocação de prótese, ou de redução, para tentar deixar as mamas mais simétricas possíveis.

Por Dr. Acrysio Peixoto

Cirurgião membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA