PORTO VELHO

Acre

URGENTE: Acre tem três casos confirmados de coronavírus

Acre

O que ninguém queria, mas era praticamente inevitável, aconteceu. O Acre tem os primeiros casos confirmados de coronavírus. E não é apenas um, segundo o Portal ac24horas apurou são três os casos confirmados.

Os nomes não foram divulgados, mas um se trata de um homem de cerca de 30 anos que chegou de São Paulo, onde teria participado de um congresso de arquitetura. O outro caso é de uma mulher de 50 anos que também teria contraído a doença na capital paulista.

A terceira pessoa infectada ainda não há confirmação, mas os primeiros atendimentos e exames foram feitos na UNIMED.

com informações ac 24

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fazendeiro que vendia gado para Rondônia tem prisão mantida pela Justiça acreana

Propaganda

Acre

Acre “acusa” Rondônia, Amazonas e países da fronteira pela origem da fumaça em ser território

Publicados

em

Pelas imagens de satélite e pelos dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a fumaça que pode ser vista no céu acreano é proveniente tanto de queimadas ocorridas aqui mesmo no estado quanto em outros estados brasileiros e países vizinhos.

A Bolívia, por exemplo, teve um aumento de 23% na quantidade de focos de queimadas entre 1º de janeiro e 8 de agosto com relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com os dados disponibilizados pelo programa Queimadas, do INPE.

Estados vizinhos, como Rondônia, também podem estar contribuindo para a presença de fumaça no Acre. Lá, o aumento de queimadas com relação ao ano passado é de 51%. São 2.102 focos registrados neste ano contra 1.389 do ano passado. Porto Velho é o município do Brasil com mais focos de queimadas até o momento.

Nesta segunda-feira, 9, o nível de fumaça que pode ser percebido na região de Rio Branco, capital do Acre, é menor que o observado durante o último fim de semana, mas ainda é possível sentir o índice anormal de poluição do ar.

Leia Também:  Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio estimado em R$ 3 milhões

Nesta segunda-feira, 9, por volta das 14h25, Rio Branco registrou uma máxima concentração de material particulado de 157 (US EPA PM2.5 AQI), que representa efeitos mais graves na saúde de quem se expor a essas condições por 24 horas. Grupos sensíveis podem experimentar efeitos mais graves com esse nível de poluição.

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

As leituras são feitas por sensores de monitoramento da qualidade instalados na Universidade Federal do Acre (Ufac) e na sede do Ministério Público do Estado do Acre (MP-AC), no Centro de Rio Branco. O sistema faz parte de uma parceria das duas instituições com órgãos de saúde e do meio ambiente.

Neste ano, o Acre teve 1.226 focos de queimadas, entre 1º de janeiro e 8 de agosto, contra 991 focos no mesmo período do ano passado. A diferença para mais é de 23%. Apenas nos primeiros oito dias de agosto, o estado registrou 698 focos de queimadas. Nas últimas foram 169 focos detectados no estado.

Leia Também:  Ações de Cleiton Roque em Primavera de Rondônia são destacadas na entrega de mudas de café.

Os municípios acreanos com os maiores registros em agosto são Feijó e Tarauacá, com 189 e 138 focos de queimadas, respectivamente. Feijó, inclusive, segue entre os 10 municípios brasileiros em número de ocorrências no decorrer deste mês.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA