PORTO VELHO

Tv & Diversão & Famosos

Morre Ruth de Souza, aos 98 anos, no Rio de Janeiro

Tv & Diversão & Famosos

Artista estava internada desde 25 de julho. Último trabalho de Ruth foi em minissérie da TV Globo

Ruth de Souza morreu neste domingo (28), aos 98 anos, no Rio de Janeiro. A atriz estava internada no Hospital Copa D’Or desde o dia 25 de julho para tratar uma pneumonia. Seu último trabalho foi neste ano na minissérie “Se eu fechar os olhos agora”, da TV Globo.

Ruth nasceu no dia 12 de maio de 1921, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Foi a primeira atriz negra a se apresentar no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e fez história ao se apresentar em “O Imperador Jones”, de Eugene O’Neil, numa montagem do Teatro Experimental do Negro, grupo fundado por Abdias Nascimento e Agnaldo Camargo. Ela ajudou a abrir caminho para o artista negro no País.

Também foi uma das pioneiras na TV, com passagens pela TV Tupi, Record, TV Excelsior e Globo. Ruth fez mais de 20 novelas.

Leia Também:  Agno casa com Leandro no fim de ‘A dona do pedaço’, e Félix celebra união

R7

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Tv & Diversão & Famosos

Toninho Tavernar, compositor porto-velhense, vence o IV Festival Nova Geração do Samba Paraense

Publicados

em

Toninho Tavernar, compositor porto-velhenese, venceu o IV Festival Nova Geração do Samba Paraense com a música “Homem de Fé”, composição sua e da paraense Brenda Moraes que também foi a intérprete do samba vencedor do festival.

O IV Festival Nova Geração do Samba Paraense foi realizado, na noite de sexta-feira, 23, dia de São Jorge – o padroeiro dos sambistas, em forma de live, no Teatro Municipal de Belém.

Foram inscritos 84 sambas e selecionados 16 para a disputa final. O samba de autoria de Toninho Tavernar e Branda Moraes venceu em três quesitos: Melhor música, Melhor intérprete e Aclamação popular.

Toninho Tavernar é um dos mais destacados compositor e cantor da última geração de sambistas rondonienses. É integrante da Ala de Compositores da Escola de Samba Asfaltão e do Projeto Samba Autoral.

Comemorando a tripla vitória do compositor rondoniense, o cronista, compositor popular e advogado, Antônio Serpa do Amaral – o Basinho, escreveu o seguinte texto:

“Com as bênçãos de Oxum, galho de arruda na mão e figa de Guiné no bolso, Toninho Tavernard consagrou-se o grande vencedor do Festival de Samba do Pará deste ano, trazendo para Rondônia a medalha de ouro conquistada em parceria com a cantora Brenda Moraes, que deu um verdadeiro show de interpretação na execução vocal de um samba metafísico cheio de espiritualidade transcendental do começo ao fim!

Leia Também:  #ENLACE: William Bonner e Natasha Dantas se casam em cerimônia íntima

Chegar ao podium do Festival Nova Geração do Samba Paraense não foi brincadeira, não! Toninho e Brenda fizeram um amálgama qualitativo, uma grande soma de talentos individuais, unificando o sonho, a potência musical e arte de produzir artesanalmente um samba que encanta logo no primeiro frasal, cuja melodia parece advinda dos rincões de umbanda, como um canto invocando  os orixás no Terreiro Santa Bárbara!  Homem de Fé é o seu nome! Da melhor qualidade e do melhor colorido possível, a música do autor rondoniense teve que enfrentar 84 composições concorrentes, sobrepujando-as na manha, por meritocracia, com o molejo de quem chegou chegando, de quem encantou cantando e de quem conquistou conquistando os quesitos de Melhor Música, Melhor Intérprete e Melhor Aclamação Popular! O samba feitiço deixou todo mundo embasbacado com sua força expressional, seu expressivo ritmo contagiante, uma interpretação robusta e avassaladora na voz de Brenda, e uma letra simples mas ao mesmo tempo espiritualizada e super instigante!

Como advogado, o autor Toninho Tavernard deixou o racionalismo jurídico de lado, e quiçá assumindo sua mediunidade de babalorixá, passeou com a desenvoltura de um pai de santo pelo mundo encantado das crenças e crendices populares do sincretismo brasileiro, passando uma mensagem de alto astral, positividade e receitas místicas de bem-aventurança no mundo espiritual!  Assim, a massa do bolo do axé cresceu e se espalhou nos corações das pessoas no Pará, na Amazônia e no Brasil todo, fazendo com que a obra fosse triplamente premiada!

Leia Também:  Monique Alfradique sobre cenas de sexo: “Tiraram quase todos do set”

Quem sabe, sabe! Quem não sabe, tira o chapéu e bate palma, como nós estamos fazendo agora!  Parabéns, Toninho! Parabéns, Brenda!  Estamos todos muito orgulhosos de vocês!  Beijo no coração!!!”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA